A inspeção de conformidade das instalações elétricas

O curso Inspetor de Conformidade das Instalações Elétricas de Baixa Tensão de acordo com a NBR 5410 ensina que a instalação elétrica deve obedecer aos preceitos da NBR 5410 desde sua concepção, projeto e eventuais reformas ou ampliações. A norma descreve em seu capítulo VII, “Verificação Final”, os procedimentos para inspeção (visual e execução de ensaios) a fim de verificar conformidade com suas e prescrições. O Certificado de Inspeção é o documento que comprova que a instalação elétrica foi submetida à uma inspeção. Ele deve ser emitido por profissional habilitado e qualificado, que será responsável pela verificação de toda a instalação.

Considerada a mais importante norma do setor elétrico, a ABNT NBR 5410, que trata de instalações elétricas de baixa tensão, foi revisada e entrou em vigor em 31 de março de 2005, cancelando e substituindo a versão lançada em 1997. A nova edição, concluída em 2004, incorpora a natural evolução tecnológica e as atualizações ocorridas principalmente na norma internacional utilizada como referência, a IEC 60364. Fixa condições a que devem satisfazer as instalações elétricas aqui estabelecidas, a fim de garantir seu funcionamento adequado, a segurança de pessoas e animais domésticos e a conservação dos bens. Aplica-se às instalações elétricas alimentadas sob uma tensão nominal igual ou inferior a 1000 V em corrente alternada, com frequências inferiores a 400 Hz, ou a 1500 V em corrente contínua. Sua aplicação é considerada a partir da origem da instalação. Aplica-se às instalações elétricas de edificações residenciais; edificações comerciais; estabelecimentos de uso público; estabelecimentos industriais; estabelecimentos agropecuários e hortigranjeiros; edificações pré-fabricadas; reboques de acampamento (trailers), locais de acampamento (campings), marinas e instalações análogas; canteiros de obra, feiras, exposições e outras instalações temporárias.

A seção 5.1 Proteção contra choques da norma foi reestruturada com o objetivo de apresentar as prescrições de proteção contra choque com maior clareza. A reestruturação tomou como base duas premissas, a aplicação de prescrições mais realistas e um maior alinhamento com a norma básica de proteção contra choques da IEC, que é a IEC 61140:2001 – Protection against electric shock – Common aspects for installation and equipment. A primeira premissa fez com que fossem suprimidas as seguintes medidas de proteção: proteção em locais não condutores e proteção por ligações equipotenciais locais não aterradas. Baseado na segunda premissa, a proteção contra choque passa a ser apresentada da seguinte forma: partes vivas perigosas não devem ser acessíveis; e massas ou partes condutivas acessíveis não devem oferecer perigo, seja em condições normais, seja, em particular, em caso de alguma falha que as tornem acidentalmente vivas. A proteção total é destinada a impedir todo contato com as partes vivas da instalação elétrica.

Deste modo, atendendo a prescrição fundamental que é a proteção de pessoas e animais contra choques elétricos, seja o risco associado a contato acidental com parte viva perigosa, sejam as falhas que possam colocar uma massa acidentalmente sob tensão. A nova norma apresenta duas proteções de caráter geral - aplicável a todos os pontos da instalação - e uma proteção de caráter específico - aplicável somente em nos pontos da instalação elétrica especificados na norma. A proteção de caráter geral compreende dois tipos: a) proteção básica e b) proteção supletiva. Os conceitos de “proteção básica” e de “proteção supletiva” correspondem, respectivamente, aos conceitos de “proteção contra contatos diretos” e de “proteção contra contatos indiretos” vigentes até a edição anterior desta norma. Para a proteção básica são apresentadas pela norma três medidas de proteção: isolação básica usa de barreira ou invólucro e limitação da tensão.

Para a proteção supletiva são apresentadas pela norma quatro medidas de proteção: – equipotencialização e seccionamento automático da alimentação; isolação dupla ou reforçada; uso de separação elétrica individual; e limitação da tensão. A proteção de caráter específico é denominada na norma de proteção adicional. Para esta proteção são apresentadas duas medidas: equipotencialização suplementar e o uso de dispositivo diferencial residual de alta sensibilidade. A norma apresenta como prescrição na seção 5.1.2.4 que a medida de caráter geral a ser utilizada na proteção contra choques é a equipotencialização e seccionamento automático da alimentação. As outras medidas de proteção contra choques elétricos descritas nesta norma são admitidas ou mesmo exigidas em situações mais pontuais, para compensar dificuldades no provimento da medida de caráter geral ou para compensar sua insuficiência em locais ou situações em que os riscos de choque elétrico são maiores ou suas consequências mais perigosas.
Publicado em 17/08/2012
Fonte: Site Banas Qualidade

0 Comments:

Post a Comment




 

Layout por GeckoandFly | Download por Bola Oito e Anderssauro.